TERRITÓRIO
ÁREAS DE
INTERVENÇÃO
PROGRAMA DE
DESENVOLVIMENTO
RURAL 2014 - 2020
TUDO SOBRE
FEDER – SI2E
 
TUDO SOBRE
FSE - FUNDO SOCIAL EUROPEU
Estratégia Local

MISSÃO
Contribuir para a promoção do desenvolvimento regional e local, para um território mais competitivo, atrativo, inovador e cooperante, conducente à melhoria da qualidade de vida à população rural e melhores níveis de coesão social.

VISÃO
O território de atuação, ser em 2020, reconhecido como um dos mais desenvolvidos do país, como “Terra de Conhecimento, Inovação e Competitividade”, possuindo vantagens competitivas diferenciadoras no contexto regional, nacional e internacional, que cresceu de forma inteligente e sustentável e que aumentou a coesão económica e social dos seus cidadãos.

VALORES
Proximidade, Diálogo e Cooperação + Compromisso e Profissionalismo + Transparência e Responsabilidade + Ética e Respeito pelos Direitos Humanos


EDL 2020
“Terra de Conhecimento, Inovação e Competitividade”
Com 23 anos de experiência na gestão das 4 gerações de programas “Leader” 1991-2014, a APRODER propõe-se, neste novo período de programação 2014-2020, assente na vertente do DLBC Rural (Desenvolvimento Local de Base Comunitária), a atuar num território alvo, com cerca de 1 246Km, inserido na região do Alentejo, na sub-região da Lezíria do Tejo - NUTS III, com uma abrangência total de 4 concelhos - Azambuja, Cartaxo, Rio Maior e Santarém (exceto parte do núcleo urbano da cidade de Santarém), num conjunto de 41 freguesias, na sua grande maioria rurais, e uma superfície agrícola utilizada (SAU) de 499 km², cerca de 40% do total do território.
Nesta estratégia, foram incluídos os núcleos da Ribeira de Santarém, Alfange e Onias que, pelas características da sua população, apresentam uma série de fragilidades ao nível socioeconómico, (desemprego, reduzidos níveis de instrução, dependência de apoio social), e um património edificado muito degradado.
Assim, a EDL abrange 77% da população do território, 99.676 habitantes, uma área de 1224 km² (98% do total), com uma densidade populacional de 81,5 habitantes por km 2.

A EDL para o território de intervenção da APRODER 2014-2020, está articulada com o referencial nacional, regional, a EIDT da NUT III LT, a Estratégia para o Turismo do Alentejo e Ribatejo, e a visão e trabalho desenvolvidos pelos Parceiros durante a elaboração da EDL e alicerçada nos quatro eixos estratégicos Promoção do Conhecimento e Inovação; Gestão Sustentável dos Ativos do Território; Dinamização Socioeconómica dos Territórios; Cooperação, capacitação institucional e trabalho em rede, e assente em condições determinantes para um desenvolvimento sustentável no longo prazo competitividade, coesão, sustentabilidade, qualificação e cooperação.
Foram definidos Objetivos Estratégicos, Específicos e Operacionais, Medidas e Ações.

 


Através do FEADER
Medidas/Ações 1 e 2 - Pequenos investimentos nas explorações agrícolas, e Pequenos investimentos na transformação e comercialização, que constituem uma aposta estratégica da APRODER, aumento da valorização económica dos produtos; a melhoria das infraestruturas e equipamentos produtivos; a melhoria da sustentabilidade ambiental e energética das explorações agrícolas (fontes de energia renováveis, eficiência de uso de água e resíduos), a valorização do património local e a melhoria da produtividade, competitividade e criação de emprego;

Medida/Ação 3 - Diversificação de atividades na exploração, criação e desenvolvimento de micro e pequenas empresas inovadoras ligadas à transformação de produtos agrícolas, a prestação de serviços à agricultura, a sustentabilidade ambiental e energética das explorações agrícolas e a melhoria da atratividade do turismo modernização do alojamento TER, criação de atividade de lazer associadas à exploração e implementação do Plano de Intervenção para o Turismo Equestre;

Medidas/Ações 4 e 5 - Cadeias curtas e mercados locais e, Promoção dos produtos de qualidade, melhoria dos mercados locais, com especial enfase para as cadeias curtas e, a certificação dos produtos DOP, e produtos biológicos e de produção integrada e a dinamização dos circuitos de transformação agroalimentar;

Medida/Ação 6 - Renovação de aldeias - preservação e valorização do património local, incidindo nas aldeias ribeirinhas, junto ao Tejo.


 

Através do PORA - FEDER
Medida/Ação 6.1 - Promover a valorização do património cultural e natural, afirmando a região como destino turístico de excelência - propomos a valorização do património, e a requalificação, a dinamização de iniciativas relacionadas com o Tejo e com áreas protegidas e, o crescimento e diversificação da oferta baseada nos elementos do património rural (Rotas - Enoturismo, Gastronomia, Cavalo, Toiro...).

Medida/Ação 8.8 - Concessão de apoios ao desenvolvimento dos viveiros de empresas e o apoio à atividade por conta própria, às microempresas e à criação de empresas, desenvolvimento do potencial endógeno, a adoção de estratégias de marketing e de animação territorial, a promoção do conhecimento e inovação, a qualificação e modernização da oferta de produtos, nomeadamente na área do turismo, a criação e desenvolvimento de redes empresariais para a inovação e experimentação, a dinamização de redes para o desenvolvimento global e sustentável, e a criação/desenvolvimento de micro e pequenas empresas.

 


Através do FSE
Medida/Ação 8.3 - Criação de emprego por conta própria, empreendedorismo e criação de empresas, incluindo micro, pequenas e médias empresas inovadoras, apoiar iniciativas inovadoras que promovam a empregabilidade e a criação de novos produtos e serviços, apoiar a criação/desenvolvimento de micro e pequenas empresas e, o desenvolvimento do empreendedorismo social;

Medida/Ação 9.1 – Inclusão ativa, com vista à promoção da igualdade de oportunidades e da participação ativa e a melhoria da empregabilidade, 9.1.1 Promover iniciativas para a inovação e a experimentação social na área da inclusão ativa, a criação de serviços de proximidade, e respostas associativas e cooperativas para a inclusão social 9.1.2 Aumentar o reconhecimento de competências pessoais, sociais e profissionais de grupos potencialmente mais vulneráveis, o desenvolvimento de metodologias assentes no reconhecimento de competências pessoais, sociais e profissionais.

Quanto à Cooperação, cooperar a diferentes níveis, nas áreas da Agricultura (inovação - gestão da água e novas culturas), Turismo, Floresta e Ambiente, e Promoção de Produtos. A APRODER integra o Conselho Estratégico da CIMLT, o Núcleo Regional da Comissão Nacional de Coordenação do Combate à Desertificação, assinou Acordo de Colaboração para a implementação da marca Natural.PT, integra o PLOG regional, assinou protocolo com ERT Alentejo e Ribatejo e é sócia fundadora da ANTE.

A EDL tem ainda como referência o Compromisso para o Crescimento Verde, a ENA Alterações Climáticas, bem como os princípios para a Coesão Social e Territorial.



DLBC RURAL
O Desenvolvimento Local de Base Comunitária (DLBC), caracteriza-se pela possibilidade de utilização de forma integrada de diferentes instrumentos de política financiados por diferentes Fundos Europeus Estruturais e de Investimento, a APRODER atuará nas seguintes prioridades de investimento:



 


PDR 2020 - Medida 10 Leader (FEADER)
Regime simplificado de pequenos investimentos nas explorações agrícolas;
Pequenos investimentos na transformação e comercialização;
Diversificação de atividades na exploração;
Cadeias curtas e mercados locais;
Promoção de produtos de qualidade locais;
Renovação de aldeias (em territórios rurais);
 


PO ALENTEJO 2020
Concessão de apoio ao desenvolvimento dos viveiros de empresas e o apoio à atividade por conta própria, às microempresas e à criação de empresas (FEDER);
Conservação, proteção, promoção e desenvolvimento do património natural e cultural (FEDER);
Criação de emprego por conta própria, empreendedorismo e criação de empresas, incluindo micro, pequenas e médias empresas inovadoras (FSE);
Inclusão ativa, incluindo com vista à promoção da igualdade de oportunidades e da participação ativa e melhoria da empregabilidade (FSE);


 

^
Topo